É quase impossível não se apaixonar pela dupla Anavitória

28. março 2017 POP 0
É quase impossível não se apaixonar pela dupla Anavitória

É possível que eu tenha exagerado um pouco no título, mas esse é o sentimento que eu tive após ouvir o disco dessa dupla de meninas de Araguaína, no interior de Tocantins. Ana Caetano e Vitória Falcão formam a Anavitória, que têm rodado o Brasil e colecionado corações com o “pop rural” e músicas sobre amor.

A trajetória das duas é tão particular quanto o relacionamento da canção “Singular”, um de seus maiores sucessos. Elas estudaram na mesma escola quando pequenas, mas perderam o contato depois que cresceram. Foi então que uma amiga em comum reapresentou uma à outra e nunca mais se largaram. Desde 2012, Ana mantinha um canal no Youtube, no qual cantava músicas de autoria própria e covers. A decisão de gravar com Vitória veio depois de vê-la cantar em um vídeo no Facebook.

Como as duas não moravam na mesma cidade (Ana vivia em Araguari, em Minas Gerais, onde estudava medicina), as gravações aconteciam quando podiam. A vida delas mudou quando decidiram regravar “Um Dia Após o Outro”, de Tiago Iorc, e enviarem a ele o vídeo. O cantor só não viu, como adorou o que ouviu e convidou as meninas para gravar um EP.

O EP, lançado em 2015, pelo selo de Tiago, a Forasteiro, colocou as meninas no mercado, e elas logo fizeram sucesso com suas músicas que misturam o pop, o sertanejo, a MPB e o folk. A gravação de um álbum aconteceu em seguida, por meio de uma plataforma de financiamento coletivo, cujo disco, segundo a própria dupla, “ficou muito a nossa cara”. E no ano passado, Anavitória assinou com uma das maiores gravadoras, a Universal Music.

Esse primeiro material das meninas conta com 11 faixas, sendo 10 delas compostas por Ana e um dueto com Tiago Iorc em “Trevo (Tu)”, e uma regravação de “Tocando em Frente”, de Almir Sater e Renato Teixeira. É um disco despretensioso, que reflete bem o estilo e alma das garotas.

Durante todo o disco, vivemos um amor gostoso, daquele que nos fazem suspirar e tirar os pés do chão. Além de “Singular” e “Trevo”, “Cor de Marte”, “Chamego Meu” e “Tua” seguem a mesma linha, enquanto “Agora Eu Quero Ir”, que ganhou clipe, vai na contramão do álbum: é uma música sobre admitir que se perdeu em um relacionamento e que é preciso partir “pra me reconhecer de volta, pra me reaprender e me apreender de novo”.

São canções com muita poesia, sentimento e verdade, elementos que podem ser vistos em Ana e Vitória ao conhecê-las em um show ou lendo qualquer uma de suas entrevistas. E mais do que um reflexo das almas dessas duas (Ana diz que as letras são como um diário de suas experiências), o disco faz a gente querer um amor como ele é cantado nas músicas da dupla.

Atualmente, Anavitória está em turnê pelo Brasil, encantando a todos com o jeito carismático da dupla de cantoras, e levando pelos quatro cantos do país a mensagem de que vale a pena sonhar e cantar com o coração. Que elas possam continuar voando longe, pois “o sorriso de orelha a orelha” do público elas já conquistaram.

Para acompanhar o trabalho do duo, acesse a página no Facebook do fã-clube Anavitória Brasil, e siga-as nas redes sociais: Facebook e Instagram.

Ouça “Anavitória” abaixo:

Tags:


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *