Crítica: “Selvagem” ou os amores e a melancolia de um garoto de programa

08. novembro 2018 Cinema 0
Crítica: “Selvagem” ou os amores e a melancolia de um garoto de programa

“Selvagem” tem como protagonista Leo, rapaz de 22 anos que vive pelas ruas da França e se prostitui por pouco dinheiro. Sem ter um lugar fixo para morar, o garoto de programa lava o rosto com água parada do meio-fio, rouba maçãs para se alimentar e se droga com a pouca grana adquirida através de seu corpo. A grande diferença aqui é que Leo é um romântico e está apaixonado por seu melhor amigo que também é michê. O protagonista sofre por causa desse amor e tenta buscar carinho nos braços de seus clientes.

O diretor estreante Camille Vidal-Naquet opta por uma linguagem bem naturalista para contar essa história: em grande parte do longa-metragem, a fotografia se baseia na câmera na mão e luz natural; como um observador real acompanhando a trajetória de Leo nas ruas da França. O filme não mede esforços em mostrar cenas de sexo bem pesadas (algumas bem grotescas e que podem revirar o estômago dos mais sensíveis), mostrando a realidade do dia a dia do garoto de programa.

Leo é daqueles personagens que pouco falam, mas que demonstram muito mais pelo olhar. Atuações desse tipo geralmente são bem-vindas e até mais grandiosas dos que as totalmente verborrágicas. O ator Félix Maritaud dá conta do recado, oscilando entre o sexy, carente e garoto perdido durante a história, e o faz com poucas palavras. Destaque para a cena onde ele vai em uma consulta médica: no começo Leo está um tanto arredio com a doutora, mas aos poucos Félix Maritaud mostra através de pequenos gestos e olhares que Leo vai se soltando, finalizando a cena com um inesperado mas necessário abraço entre o protagonista e a médica.

“Selvagem” se propõe a discutir a partir de tudo isso até onde vai o amor e a carência? Era Leo mesmo apaixonado por seu melhor amigo ou ele é apenas um garoto que não quer mais apenas ser visto como um pedaço de carne? Em vários momentos acompanhamos Leo recebendo carinho e afeto de outros homens, e ele gosta disso, mas acaba sempre voltando para o amado que o rejeita e chega até mesmo a espancá-lo.

Trazendo uma história bem naturalista a partir da visão de um garoto de programa perdido e em busca do amor, “Selvagem” consegue discutir o amor e as relações através de um personagem que é visto, na maioria das vezes, apenas como um corpo. Leo não se corrompeu aos amores rápidos e superficiais dos dias atuais, não entende o que é fazer joguinhos amorosos, não sabe fingir que não ama, que precisa de ajuda; ele é indefeso e precisa de um abraço em alguns momentos. “Selvagem” se destaca por ser um bonito filme com uma boa representatividade gay e que vai te fazer sair pensando do cinema: seja sobre algumas cenas chocantes ou sobre os conflitos internos de um garoto de programa em busca de carinho.

O Prosa Livre assistiu “Selvagem” na 42ª Mostra Internacional de Cinema. Ainda não há previsão de estreia do filme nos cinemas brasileiros.