A masculinidade tóxica é um problema reconhecido até pela Gilette

15. janeiro 2019 Internet 0
A masculinidade tóxica é um problema reconhecido até pela Gilette

A masculinidade tóxica é um problema tão grande, que até mesmo a Gilette o reconheceu em seu mais novo comercial, incentivando homens a mudar seus comportamentos. 

Aqui no Prosa Livre, abordamos esse assunto diversas vezes, pois é preciso chamar a atenção dos homens para atitudes que, embora sejam naturalizadas socialmente, elas não são mais aceitáveis (nem nunca foram, para início de conversa). Desde pequenos somos ensinados a reprimir emoções (“menino não chora”), a sermos agressivos para conseguir as coisas e a estarmos sempre disponíveis para sexo. Do contrário, quando não seguimos esses preceitos, somos logo informados de que não somos “homens de verdade”. E embora tudo isso não acenda um sinal vermelho na cabeça de muita gente, as consequências podem ser sentidas de verdade: homens têm tirado suas vidas em um nível maior do que o encontrado entre as mulheres; e os casos de feminicídio, somente em 2019, são alarmantes (33 mulheres sofreram tentativa de homicídio somente nos 11 primeiros dias do ano).

Portanto, alguma coisa precisa ser feita para mudar essa cultura de que “homem é tudo assim mesmo” e construir uma verdadeira revolução entre nós. Alguns podem se manter céticos em relação ao envolvimento da Gilette, famosa marca de lâminas para barbear, mas a marca está disposta a contribuir com uma reflexão sobre masculinidade tóxica e na criação de um debate acerca do tema.

Em seu mais novo comercial, intitulado “The Best Men Can Be” (ou “o melhor que os homens podem ser”, em português), a empresa traz homens de diferentes raças olhando-se no espelho, enquanto notícias de violência contra as mulheres e comportamentos nocivos são encenados por atores. Há situações de xingamento contra homossexuais, assédio sexual, brigas entre garotos e um homem impedindo uma mulher de falar em uma reunião de negócios. “É esse o melhor que homens podem ser?”, questiona-se a Gilette, utilizando um antigo slogan.

Para demonstrar que é preciso mudar, e que já existem homens mudando o cenário, a marca apresenta um trecho do depoimento do ator Terry Crews no senado americano, no qual ele pede para que os homens responsabilizem outros homens em casos de assédio sexual. Há também homens separando brigas de garotos; um trecho do vídeo viral de um homem ensinando sua filha a criar autoestima; e homens corrigindo seus amigos que assediam mulheres nas ruas e em festas.

“Nós acreditamos no melhor dos homens para dizer e agir da maneira correta. Alguns homens já fazem isso de forma grande e pequena. Mas alguns não é o suficiente, porque os meninos que os veem hoje serão os homens de amanhã”, conclui a Gilette

O filme está disponível apenas em inglês, mas viralizou pelas redes sociais do mundo todo, graças à mensagem de fácil assimilação e que emociona. Com isso, é possível prever que, embora muita gente tenha gostado do que viu, muitas outras detestaram e começaram uma campanha de boicote aos produtos da empresa. Porém, de acordo com o site Jezebel, a marca já esperava protestos acerca do comercial:

“Nós esperávamos debate – a discussão é necessária”, diz um comunicado enviado ao canal CNBC. “A cada reação negativa, há pessoas chamando a iniciativa de corajosa, atual, inteligente e muito necessária. No fim do dia, criar uma conversa é o que importa. Isso leva pessoas a prestarem atenção ao tópico e as encoraja a tomar atitudes para fazer a diferença”.

Portanto, a Gilette não está preocupada que um grupo de pessoas raivosas boicotem a marca. E se você está com um pé atrás com a iniciativa, já que estamos falando de uma grande corporação, a companhia se compromete a doar US$ 1 milhão anualmente, por três anos, a instituições não-governamentais que “que executam programas nos Estados Unidos destinados a inspirar, educar e ajudar homens de todas as idades a alcançarem as melhores versões de si mesmos e a se tornarem modelos para a próxima geração”.

“Trinta anos atrás, lançamos nosso slogan ‘The Best A Man Can Get'”, diz um texto publicado no site da Gilette. “Nosso slogan precisa continuar nos inspirando a melhorar todos os dias e ajudar a criar um novo padrão para os meninos admirarem e para os homens alcançarem… Porque os meninos de hoje são os homens de amanhã”.

É positivo que uma marca desse porte se engaje em uma causa tão importante e que esteja disposta a alinhar discurso e ações para criar uma mudança. A Axe seguiu o mesmo caminho anos atrás e até a Dove já fez um comercial com um posicionamento similar. As coisas vão demorar para mudar e não é um comercial de lâminas para barbear que vai mudar o mundo, mas com certeza é um passo na direção certa.