Cara mídia, não tente apagar Pabllo Vittar do sucesso de “Sua Cara”

31. julho 2017 POP 0
Cara mídia, não tente apagar Pabllo Vittar do sucesso de “Sua Cara”

Se você é um pouco como eu, provavelmente não conseguiu deixar de ver o clipe de “Sua Cara”, parceria de Anitta e Pabllo Vittar com os DJs do Major Lazer. As duas estavam lindas e dançando muito em meio ao quente deserto do Marrocos, o que prova que elas estão mais para divindades do que reles mortais como nós.

Mas no meio da minha animação com a obra, percebi que algumas personalidades da mídia estavam ignorando Pabllo Vittar, que diga-se de passagem, é a drag queen mais seguida do Instagram e que bateu recordes no Spotify há pouco tempo.

Primeiro, o blogueiro Perez Hilton fez questão de não citar a voz de “K.O.” ao anunciar o clipe no Twitter.

Os brasileiros, obviamente, ficaram incomodados, e foram cobrá-lo pelo seu “esquecimento”. Contudo, Perez Hilton deixou claro que não citou Pabllo de propósito, alegando que não a conhecia e nem se importava com isso, para depois dizer que ela não era conhecida do seu público como Anitta.

Não é como se os brasileiros estivessem pedindo a ele para conduzir um especial de duas horas sobre Pabllo Vittar, apenas citá-la em seu tweet. Por ser uma figura mundialmente conhecida, uma mera menção ao nome dela teria um grande impacto. Mas, ao mesmo tempo, é de se entender escolhas editoriais. Contudo, a forma de responder aos fãs poderia ser mais educada.

Depois de Perez, quem mais decidiu virar as costas – literalmente – para Pabllo foi Amin Kadher, durante uma entrevista com Anitta na festa de lançamento do clipe de “Sua Cara”. Ele se posicionou entre as duas cantoras, mas deu atenção apenas à voz de “Bang Bang”, que demonstrou muito desconforto com a atitude, falando várias vezes que a canção era uma parceria, e não um trabalho apenas delas. Em determinado momento, ela pede a ele que não fique de costas para Pabllo.

Foram atitudes lamentáveis – especialmente porque ambos Amin e Perez fazem parte da comunidade LGBT – , mas porque eles parecem ignorar o sucesso e a força que Pabllo possui – tanto dentro quanto fora das redes sociais.

Foi em 2015 que a drag queen surgiu na internet, lançando o clipe “Open Bar”, uma versão para um grande hit do Major Lazer, “Lean On”. De lá para cá, muita coisa mudou na vida de Vittar, que nasceu em uma família pobre em São Luís do Maranhão. 

No começo deste ano, ela lançou seu primeiro disco, o viciante “Vai Passar Mal”, que tem uma colaboração com o DJ Diplo na faixa “Então Vai”, e um dueto com o rapper gay Rico Dalasam em “Todo Dia”, um dos maiores hits do Carnaval de 2017. Sim, um dos maiores lançamentos musicais do ano pertence a uma drag queen.

E isso não é tudo: os números de Pabllo também impressionam. No Instagram, ela conta com mais de 2,7 milhões de seguidores, o que a torna a drag queen mais seguida naquela rede social. Nem mesmo RuPaul, apresentador do reality show “RuPaul’s Drag Race”, e um dos maiores nomes LGBT no mundo todo, está bem atrás dela: 1,4 milhões de seguidores.

No Spotify, ela também fez história: a música “K.O.” chegou a 15,3 milhões de streams na plataforma, mais do que qualquer outra drag queen no mundo. Ela também é dona do clipe mais assistido do Youtube de uma drag: “Todo Dia” (que foi removido do site recentemente). Até o vídeo de “Sua Cara” estreou de maneira grandiosa: foi o clipe mais assistido em 24 horas de 2017, com mais de 17 milhões de visualizações.

Ainda neste ano, Pabllo foi a voz da banda que toca no programa “Amor & Sexo”, comandado por Fernanda Lima. A fama é tanta, que as drags do programa “RuPaul’s Drag Race” até gravaram um vídeo dublando “K.O.”. Ou seja, não dá para ignorar o talento e o sucesso que ela tem feito.

Além disso, como bem pontuou a youtuber e drag queen Lorelay Fox, “uma drag num clipe de sucesso” é muito importante. A visibilidade para ela e o movimento LGBT como um todo é gigante.

Portanto, seria ótimo que a mídia se atentasse mais a quem estão ignorando. Não que Pabllo Vittar precise dessa validação, afinal, ela já é um estouro e vai continuar trilhando uma carreira de sucesso. Seria apenas positivo não tirar dela esse momento.

Ou melhor, nem tirar, né? Porque segundo a própria: “eu tô muito feliz, amor, e nada vai estragar esse momento”. 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *