Os comentários sobre a série “Cara Gente Branca” explicam por que ela é tão necessária

Os comentários sobre a série “Cara Gente Branca” explicam por que ela é tão necessária

Depois de um teaser, a Netflix liberou o trailer da segunda temporada de “Cara Gente Branca”, seriado que acompanha a vida de um grupo de estudantes negros em uma grande universidade americana. 

O pontapé inicial do primeiro ano da série é uma festa, cujo tema é o blackface, o que enfurece (com razão) boa parte dos alunos negros, principalmente Sam (Logan Browning). A menina trabalha na rádio da instituição e não tem medo de expressar suas opiniões em seu programa, causando um desconforto necessário em seus colegas brancos.

“Cara Gente Branca” foi criado por Justin Simien, diretor e roteirista do filme de mesmo nome, que deu origem à série. A produção é inteligente e faz ótimas críticas à sociedade e ao racismo que, mesmo quando não temos a intenção, está ali. E se a primeira temporada deu o que falar, a segunda promete ser ainda mais afiada.

E assim como aconteceu no ano passado, mais uma vez uma prévia de “Cara Gente Branca” irritou muita gente na internet (vide os comentários no Youtube), acusando a série de racismo contra brancos. Como se racismo reverso existisse de verdade.

Para haver racismo contra brancos, era preciso que houvesse um sistema em que esses indivíduos seriam oprimidos, o que não acontece. Historicamente, a população negra é que é oprimida desde que chegou ao Brasil. Vendidos, escravizados e com direitos negados, até hoje os negros lutam por direitos básicos, como acesso à educação, moradia e segurança. São eles a maioria dos mortos pela polícia e dos pobres no país, ao mesmo tempo em que são minoria nas universidades e têm salários mais baixos.

É por isso uma série que aborda racismo é tão necessária. Não apenas para abrir os olhos para a forma como a sociedade trata a população negra, mas também para empoderar essas pessoas e, assim, criar mudanças urgentes. 

Os comentários e dislikes explicam exatamente a importância de “Cara Gente Branca”. E para ser sincero, eu mal posso esperar para ver quais novas questões serão abordadas – e se Coco (Antoinette Robertson) finalmente terá um episódio para chamar de seu. 

Para quem está ansioso como eu, o seriado chega na Netflix no dia 4 de maio.