Caitlyn Jenner aparece pela primeira vez na capa da revista Vanity Fair

01. junho 2015 Estilo 8
Caitlyn Jenner aparece pela primeira vez na capa da revista Vanity Fair

Foi no mês passado que Bruce Jenner contou à jornalista Diane Sawyer sobre sua transição. Na entrevista, Bruce contou que viveu uma mentira, mas que não dava mais para continuar com isso. “Para todas as causas, sou uma mulher”. E, hoje, a revista Vanity Fair divulgou a capa da edição de julho: Caitlyn Jenner, que traz a ex-atleta olímpica na capa com o título “Chamem-me de Caitlyn”, após completar sua transição de gênero.

vanity fair caitlyn jenner
Caitlyn Jenner é capa da edição americana da “Vanity Fair”

As fotos foram feitas pela renomada fotógrafa Annie Leibovitz, famosa por fazer retratos de famosos. A revista contará com 22 páginas sobre a vida de Caitlyn Jenner, que revela não se arrepender de nada. “Se eu estivesse no meu leito de morte e tivesse guardado esse segredo e nunca tivesse feito nada  a respeito, eu estaria deitada ali dizendo ‘você estragou sua vida toda. Você nunca lidou consigo mesma’, e eu não quero que isso aconteça”.

No Youtube, a Vanity Fair divulgou um vídeo com o ensaio fotográfico, feito na casa de Caitlyn. “Esse ensaio foi sobre minha vida e quem eu sou como pessoa. Não é sobre a fanfarra, não é sobre andar na rua e alguém dar um tapinha nas costas e dizer ‘aquele garoto, o Bruce’. É sobre a sua vida. Bruce sempre contou uma mentira. Ele sempre viveu essa mentira”, conta no clipe.

Sua relação com a família também é tema da entrevista. Burt e Cassandra, seus filhos mais velhos, frutos de seu primeiro casamento com Chrystie Crownover; souberam pela mãe, há mais de 20 anos, sobre a identidade de gênero de Caitlyn. E na entrevista para a Vanity Fair, descobrimos que Bruce não era o melhor dos pais. “Tenho muitas esperanças que Caitlyn seja uma pessoa melhor do que foi Bruce. Estou ansioso por isso”, revela o filho mais velho, Burt, algo que Caitlyn admite ter consciência.

Em julho, irá ao ar no canal E! dos Estados Unidos, uma série de episódios sobre o processo de transição de Caitlyn Jenner, no entanto, sem a participação das filhas Kendall e Kylie, irmãs das Kardashian, que preferiram “preservar o legado do pai”. Essa publicidade toda pode parecer vazia de significado, ou ser vista como uma tentativa de fazer mais dinheiro, mas Caitlyn diz que não é esse o motivo. “Faço isso para ajudar a minha alma e ajudar outras pessoas”, revela à publicação, dizendo que desde que sua entrevista com Diane Sawyer foi ao ar, tem recebido várias correspondências de várias partes do mundo. “É divertido ir à caixa de correio, porque eu recebo cartas todos os dias de pessoas do mundo todo”.

Fato é que Caitlyn Jenner não quer somente “aparecer”, até porque ela já está sob o olho público. Ela está usando sua exposição para trazer entendimento a uma questão muito importante: a transgeneridade. Mais importante, Caitlyn quer ajudar outras pessoas que são como ela. Sua série no canal E! será focada em formas de diminuir os números de suicídio entre a população transgênero. Ou seja, ela não está fazendo isso só por vaidade e dinheiro, mas para que possa criar uma rede de acolhimento e entendimento, de forma que casos como o de Leelah Alcorn não ocorram. E isso é muito importante.

Até pouco tempo, a sigla “T” no movimento LGBT mal era vista. E sim, aqui no Brasil pouco conversamos sobre a questão das pessoas transgênero, que ainda lutam por uma representação positiva na mídia e direitos básicos a qualquer cidadão. Mas é importante levarmos em consideração o que Caitlyn Jenner, Laverne Cox, Maria Clara Araújo fazem, para que essas pessoas possam se fortalecer. Não só isso, o esforço de todas elas nos ajudam a mudar a forma como enxergamos e a desmistificarmos muitos preconceitos ao nos relacionarmos com pessoas trans.

Representatividade importa muito, mas ela precisa vir acompanhada de mudanças. E mudanças são o que Caitlyn Jenner, Laverne Cox e Maria Clara Araújo podem ajudar a conquistar.

O Buzzfeed tuitou hoje, logo após a divulgação da capa da Vanity Fair, que Caitlyn receberá o prêmio “Arthur Ashe Courage”, entregue a uma personalidade esportiva, ou não, por sua coragem.

Foi aberto hoje, também, o perfil oficial de Caitlyn Jenner no Twitter, onde ela escreveu “Estou feliz depois de uma longa batalha para viver quem eu realmente sou. Bem-vinda ao mundo, Caitlyn. Mal posso esperar para que vocês conheçam-na/-me”.

A edição americana da Vanity Fair vai às bancas no dia 9 de junho.

Bem-vinda, Caitlyn. E continue inspirando!