Cada um dos 10 atores mais bem pagos do mundo recebeu mais do que a atriz mais bem paga do mundo

24. agosto 2017 Famosos 0
Cada um dos 10 atores mais bem pagos do mundo recebeu mais do que a atriz mais bem paga do mundo

Depois de revelar a lista das atrizes mais bem pagas do mundo, a revista Forbes divulgou a lista dos atores que mais receberam nos últimos 12 meses do ano. Em primeiro lugar veio Mark Wahlberg e seus US$ 68 milhões, seguido por Dwayne Johnson, com US$ 65 milhões, e Vin Diesel na terceira posição, faturando US$ 54,5 milhões.

Boa parte dos lucros de Wahlberg vieram da exaustiva franquia “Transformers” e do filme “Pai em Dose Dupla 2”, que será lançado no final do ano. Já Johnson viu sua conta aumentar com “Baywatch: S.O.S. Malibu”, que não foi bem nas bilheterias, o seriado “Ballers” e o futuro “Jumanji”. E Vin Diesel faturou alto com a saga “Velozes & Furiosos”, o longa “xXx: Reativado” e “Guardiões da Galáxia”.

A lista da publicação leva em conta diversos fatores, além dos resultados de bilheteria, e faz o cálculo do valor sem os descontos de impostos e pagamentos de equipe (assessores e advogados, por exemplo). 

O top 10 é o seguinte:

  1. Mark Wahlberg — US$ 68 milhões
  2. Dwayne Johnson — US$ 65 milhões
  3. Vin Diesel  — US$ 54,5 milhões
  4. Adam Sandler — US$ 50,5 milhões
  5. Jackie Chan — US$ 49 milhões
  6. Robert Downey Jr. — US$ 48 milhões
  7. Tom Cruise — US$ 43 milhões
  8. Shah Rukh Khan — US$ 38 milhões
  9. Salman Khan — US$ 37 milhões
  10. Akshay Kumar — US$35,5 milhões

Diferente da lista das atrizes mais bem pagas, que não trouxe nenhuma mulher de minorias étnicas nas 10 primeiras posições, a lista dos homens é bem mais diversa, contando com 3 artistas indianos, um ator chinês e outro ator de origens negras e da polinésia francesa. 

Outro fato que chama a atenção na lista é a quantidade de dinheiro que esses homens fizeram juntos no último ano: US$ 488,5 milhões. Esse é um valor alto e que é quase 4 vezes mais do que a quantia somada das 10 atrizes mais bem pagas. Aliás, cada um dos 10 artistas masculinos receberam muito mais do que Emma Stone, que foi a artista feminina que mais lucrou: ela fez US$ 28 milhões entre julho de 2016 e julho de 2017. Indo mais além, 14 dos 20 homens que mais faturaram no último ano receberam mais que Stone, inclusive Ryan Gosling, seu parceiro em “La La Land”, que na 14ª posição fez US$ 29 milhões.

E a disparidade salarial fica ainda mais gritante quando vemos que 16 dos 20 homens fizeram mais de US$ 20 milhões, enquanto apenas 3 mulheres atingiram a marca.

Vale apontar que os 3 atores indianos (Shah Rukh Khan, Salman Khan e Akshay Kumar) trabalham em Bollywood e Jackie Chan tem boa parte dos rendimentos vindo de filmes que faz na China, o maior mercado cinematográfico do mundo. Ainda assim, isso não exime a indústria do cinema de pagar menos e tratar mal as mulheres. E levando em consideração que Mark Wahlberg, Tom Cruise, Dwayne Johnson e Adam Sandler fizeram filmes que renderam pouca bilheteria e/ou críticas ruins (“Transformers”, “A Múmia” “Baywatch” e “The Ridiculous 6”, respectivamente), é possível perceber que a “terra dos sonhos” é muito mais paciente com homens que fracassam do que com as mulheres.

Não só isso, vale lembrar a quantidade de papéis que são oferecidos às mulheres. Um estudo recente avaliou os 100 maiores filmes de 2016 e comparou os resultados com os anos anteriores, a fim de verificar a representação de minorias no cinema mainstream. Descobriu-se que, no ano passado, somente 31,4% dos personagens com falas eram mulheres. Entre 2007 (ano em que a pesquisa teve início) e 2016, o percentual aumentou apenas 1,5% e foi o mesmo encontrado em 2015.

Esse cenário ajuda a justificar os salários menores, afinal, não há tantos trabalhos sendo oferecidos às mulheres. Ou seja, a situação das mulheres em Hollywood não está melhorando, mesmo que a indústria cinematográfica goste de se declarar “progressista”. 

É decepcionante que, em uma indústria que paga uma quantia excessiva para artistas, as mulheres sejam remuneradas de forma injusta. A desigualdade de gênero é um tema debatido exaustivamente. Até a própria Emma Stone falou sobre sua experiência sobre o assunto no mês passado.

Não há como solucionar esse problema do dia para a noite, e que está presente em várias indústrias no mundo todo. Mas é preciso que os discursos se alinhem com a prática. Afinal, a desigualdade de gênero é um clichê que ninguém mesmo quer continuar vendo.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *