Autor do ‘Humans of New York’ levanta 500 mil dólares para levar crianças pobres para Harvard

24. janeiro 2015 Internet 1
Autor do ‘Humans of New York’ levanta 500 mil dólares para levar crianças pobres para Harvard

Você provavelmente conhece o projeto fotográfico ‘Humans of New York‘, de Brandon Stanton. O fotógrafo sai à procura de rostos anônimos na cidade de Nova York, os fotografa e conta um pouco de suas histórias pessoais. O projeto é tão bacana que inspirou a criação de algumas páginas similares no Brasil.

Agora, o autor do blog foi além da fotografia e arrecadou, através de um site de financiamento coletivo, mais de 500 mil dólares para que crianças de uma escola de Nova York possam visitar a prestigiada universidade de Harvard.

Tudo começou quando Brandon Stanton postou a foto de um garoto em sua página, que afirma que a diretora de sua escola é sua maior influência na vida.

– Quem mais te influencia na sua vida?
– Minha diretora, senhora Lopez.
– Como ela tem te influenciado?
– Quando nos encrencamos, ela não nos suspende. Ela liga para seu escritório e nos explica como a sociedade está estruturada à nossa volta. E ela nos diz que cada vez que alguém não se dá bem na escola, uma nova cela é construída na cadeia. E uma vez ela fez cada aluno levantar, e disse que cada um de nós era importante”.

Alguns dias depois, o fotógrafo conheceu a diretora Nadia Lopez, exemplo de dedicação com seus alunos.

A couple days back, I posted the portrait of a young man who described an influential principal in his life by the name of Ms. Lopez. Yesterday I was fortunate to meet Ms. Lopez at her school, Mott Hall Bridges Academy. “This is a neighborhood that doesn’t necessarily expect much from our children, so at Mott Hall Bridges Academy we set our expectations very high. We don’t call the children ‘students,’ we call them ‘scholars.’ Our color is purple. Our scholars wear purple and so do our staff. Because purple is the color of royalty. I want my scholars to know that even if they live in a housing project, they are part of a royal lineage going back to great African kings and queens. They belong to a group of individuals who invented astronomy and math. And they belong to a group of individuals who have endured so much history and still overcome. When you tell people you’re from Brownsville, their face cringes up. But there are children here that need to know that they are expected to succeed.”

A photo posted by Humans of New York (@humansofny) on

“Essa vizinhança não espera muito de nossas crianças, então, aqui na Academia Mott Hall Bridges, nós colocamos nossas expectativas lá em cima. Não chamamos nossas crianças de ‘alunos’, nós os chamamos de ‘estudiosos’. Nossa cor é o roxo. Nossos estudiosos vestem roxo, assim como nossos funcionários. Roxo é a cor da realeza. Quero que todos meus estudiosos saibam que mesmo que vivam em programas de moradia, eles fazem parte de uma linhagem real que vai até os grandes reis e rainhas africanos. Eles pertencem a grupo de pessoas que inventaram a astronomia e a matemática. E eles pertencem a um grupo que enfrentou muita história e ainda se superaram. Quando você diz para as pessoas que você é de Brownsville, elas fazem careta. Mas há crianças aqui que precisam saber que espera-se sucesso delas”.

A fim de contexto: Brownsville fica no Brooklyn, em Nova York, e possui a maior taxa de criminalidade da cidade, além de possuir a maior concentração de programas de moradia dos Estados Unidos e quase 40% dos moradores estarem abaixo da linha da pobreza. Ou seja, as crianças mal conseguem sonhar com um futuro melhor.

Foi então que o fotógrafo Brandon Stanton, a diretora Nadia Lopez e a vice-diretora Achu, tiveram a ideia de fazer uma campanha num site de financiamento coletivo, na tentativa de arrecadar 100 mil dólares, para que as crianças da sexta série pudessem visitar a universidade de Harvard. O dinheiro era suficiente para uma viagem ao ano por três anos. A meta foi batida em menos de uma hora.

Até o momento, mais de 505 mil dólares já foram arrecadados, o que possibilitará a viagem das crianças por vários anos à universidade de Harvard. O dinheiro levantado também servirá para pagar um programa de verão, para que os estudiosos possam continuar aprendendo durante as férias, já que nesse período, muitas crianças não saem de casa por medo da criminalidade no bairro em que vivem.

Essa é uma forma de percebermos como é importante investirmos em nossas crianças. Com o dinheiro arrecadado, será possível que crianças muito pobres tenham a oportunidade de estar em um dos centros acadêmicos mais importantes dos Estados Unidos – e do mundo -, podendo sonhar e tentar mudar a realidade em que vivem.

“Quero que meus estudiosos saibam que não há um único lugar que eles não pertençam”.

mott-hall-brides-academy