“Atypical” é e não é sua típica série de televisão; assista ao trailer

“Atypical” é e não é sua típica série de televisão; assista ao trailer

Olhando superficialmente, é fácil pensar que “Atypical”, nova série da Netflix, é mais uma a apresentar um jovem tentando conquistar garotas. E embora isso não seja uma verdade sobre a atração, existe uma diferença em sua narrativa: o protagonista possui autismo.

Sam (Keir Gilchrist) é um adolescente que, assim como qualquer garoto de sua idade, não vê a hora de ficar com uma menina. Porém, as coisas são um pouco mais complicadas para ele, não só por conta de sua condição, que torna as interações sociais um tanto desafiadoras, mas também por conta de sua superprotetora mãe Elsa (Jennifer Jason Leigh – “Os 8 Odiados”). 

Enquanto o menino sente que precisa se destacar mais e quer buscar novas perspectivas, Elsa tem medo que essas novidades possam vir a feri-lo. Mas, de acordo com o trailer divulgado ontem (18), Sam parece ter uma boa rede de apoio para ajudá-lo a enfrentar os obstáculos que surgem quando você decide criar coragem para deixar as expectativas dos outros de lado para viver a sua vida.

E apesar da trama de “Atypical” ser protagonizada por um garoto autista, ela também é sobre todas as pessoas. Segundo a criadora do seriado, Robia Rashid, “o tema é: ninguém é normal”.

Para realizar a atração de forma honesta e apurada, ela fez questão de ter a consultoria de um professor da Universidade do Sul da Califórnia, que trabalhou no Centro de Pesquisa e Tratamento para Autismo da UCLA.

O autismo é um transtorno mais comum entre meninos do que em meninas (a cada quatro crianças com a condição, apenas uma é gênero feminino), e afeta o desenvolvimento do indivíduo. Ele pode ser identificado até os 3 primeiros anos de idade da criança, e pode comprometer a linguagem, limitando a fala, as interações sociais, fazendo com que a pessoa tenha uma tendência ao isolamento, e também pode impactar no comportamento, como fazer algo repetidamente.

Existem diferentes graus de autismo e algumas crianças possuem níveis mais brandos até mais severos, nos quais a pessoa pode ter um comportamento mais agressivo e dificuldade de aprendizado. O diagnóstico não é tão fácil, por isso, é preciso atenção dos pais, e em caso de dúvida, é preciso procurar um especialista, pois quanto mais cedo o tratamento começar, melhor será a qualidade de vida do indivíduo com o distúrbio.

Além de Keir Gilchrist e Jennifer Jason Leigh, também estão no elenco Michael Rapaport, Brigette Lundy-Payne e Amy Okuda. “Atypical” estreia na Netflix no dia 11 de agosto.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *