As primeiras imagens de Matt Bomer como uma mulher trans são desastrosas

16. junho 2017 Cinema 0
As primeiras imagens de Matt Bomer como uma mulher trans são desastrosas

É o mês do Orgulho LGBT, por isso, nada mais apropriado do que um ator cisgênero* interpretando uma mulher trans, certo? Errado! As primeiras imagens de Matt Bomer (“The Normal Heart”) no filme “Anything” foram finalmente liberadas – e elas são simplesmente desastrosas.

(*cisgênero = pessoa que se identifica com o gênero que lhe foi designado no nascimento)

No ano passado, saiu a notícia de que o ator interpretaria uma mulher trans no longa, dirigido por Timothy McNeil, cuja produção-executiva é do ator Mark Ruffalo. Também estão no elenco John Carroll Lynch (“Milagres do Paraíso”), Maura Tierney (“The Affair), Margot Bingham (“The Family”) e Melora Hardin (“The Office”). Antes mesmo de ser lançada, a produção fez os olhos de muita gente revirarem (inclusive os meus), pois, mais uma vez, um ator cis estava pegando o papel de uma mulher trans. 

Para muita gente, isso não é coisa séria, pois estamos falando de atuação e todo mundo deveria ser capaz de fazer qualquer personagem, mas a verdade é que essa é uma questão muito mais séria. Primeiramente, estamos falando de um grupo que sofre para conseguir trabalho. E quando ele para nas mãos de um artista cis, o ciclo de invisibilidade de pessoas trans continua. Em segundo lugar, por que não dar o papel a uma pessoa trans de verdade, afinal, quem melhor para interpretá-lo? 

“Pessoas trans não estão em nenhuma produção, seja nos filmes de Hollywood ou mesmo nas novelas daqui [Brasil]”, contou a ativista trans Lana de Holanda em entrevista ao Prosa Livre. “Já tivemos Claudia Raia interpretando uma mulher trans na novela ‘As Filhas da Mãe’, e já tivemos a Hilary Swank dando vida a um homem trans no filme ‘Meninos não Choram’. Nesses dois casos, eram pessoas trans que já tinham passado por um processo de transição, então, por qual motivo os papéis não foram dados para pessoas realmente trans? Porque nós não somos dignas nem de contar nossa própria história. Infelizmente a verdade é essa”.

E para a surpresa de ninguém, Hollywood seguiu em frente com “Anything”, e nós já podemos ver uma prévia do do filme, que foi revelada em primeira mão pelo site Deadline. No curto vídeo, o personagem de John Carroll Lynch, Early Landry, está sentado em uma cadeira, quando Freda (Bomer) bate à porta. Ela pede um ingrediente para os biscoitos que está cozinhando e pede para entrar. É o primeiro contato de ambos, e ele já começa um diálogo preguiçoso.

“De onde você é? Da Geórgia?”, pergunta Freda
“Mississipi”, responde Early.
“De qual cidade?”
“Da pequena cidade chamada Crying”
“É bem no meio do sul”
“Acho que é o mais ao sul que você pode conseguir”.
“Legal, porque eu gosto das coisas bem no meio, se você me entende”.

Não é o melhor papo para uma introdução, né? Eu consigo sentir a sua raiva daqui.

Em 2016, ativistas (e qualquer pessoa com bom senso) reclamaram da escalação de Matt Bomer para o papel, inclusive as atrizes trans Jen Richards (que fez um teste de elenco) e Jamie Clayton (a Nomi de “Sense8”). Mark Ruffalo, após toda a repercussão, pediu desculpas à comunidade trans, afirmando que estava escutando as reclamações. “É terrível que vocês estejam sofrendo”, ele escreveu no Twitter, acrescentando que sugeriu Bomer para “Anything”, por conta da boa relação que tiveram quando filmaram “The Normal Heart”.

Eu ainda acredito que ele teve boas intenções, mas elas não apagam a tragédia que acabamos de ver. Há artistas trans apenas esperando uma oportunidade, e é preciso que deem a eles a chance de trabalhar. A arte e a sociedade ganhariam muito com isso, então, por favor, Hollywood (e estúdios brasileiros): vamos melhorar.

“Anything” estreia nesse final de semana no Festival de Cinema de Los Angeles.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *