Os artistas estão fazendo um manifesto político com uma fita azul no tapete vermelho do Oscar

26. fevereiro 2017 Estilo 0
Os artistas estão fazendo um manifesto político com uma fita azul no tapete vermelho do Oscar

Os artistas já estão chegando para a cerimônia do Oscar, que acontece nesta noite (26), na cidade de Los Angeles. A premiação, a maior do cinema americano, é um dos eventos mais assistidos nos EUA e no mundo e, como era de se esperar, está sendo palco de manifestações políticas contra o presidente Donald Trump.

E elas já começaram no tapete vermelho: algumas celebridades, como Ruth Negga (“Loving”), Lin-Manuel Miranda (“Moana”) e Barry Jenkins (“Moonlight – Sob a Luz do Luar”), estão usando uma fita azul sobre suas roupas, em apoio à União Americana pelas Liberdades Civis (ACLU, na sigla em inglês). A organização trabalha para “defender e preservar os direitos individuais e as liberdades garantidas pela Constituição e as leis dos Estados Unidos”, e tem atuado contra as políticas anti-imigração de Trump.

Para quem não se lembra, no final de janeiro, o presidente americano havia assinado um decreto que suspendia a entrada de refugiados no país por 120 dias, além de banir por 90 dias a entrada de toda e qualquer pessoa de países de maioria muçulmana: Síria, Iraque, Sudão, Somália, Líbia, Iêmen e Irã. A decisão foi barrada temporariamente.

Segundo a revista The Hollywood Reporter, a ACLU aumentou para um milhão seu número de membros, e no final de semana em que as políticas de Trump foram anunciadas, a organização recebeu US$ 24 milhões em doações.

“Ficamos incrivelmente emocionados pela quantidade de apoio que a ACLU recebeu da comunidade do entretenimento, ao mesmo tempo em que nos unimos para proteger e defender os direitos e as liberdades civis garantidas pela Constituição americana a todos nesse país”, escreveu a chefe de comunicações da ONG, Michele Moore.

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *