Apresentadora de televisão corta entrevista com sheik árabe após ele mandá-la calar a boca

Apresentadora de televisão corta entrevista com sheik árabe após ele mandá-la calar a boca

Uma apresentadora de televisão libanesa, Rima Karaki, mostrou durante um programa no canal Al-Jadeed TV que sem respeito não há possibilidade de se manter uma conversa.

Enquanto entrevistava o sheik radical Sunni Hani Al-Siba’i, radicado na Inglaterra, Rima Karaki pediu a ele que focasse na questão de cristãos unirem-se a grupos islâmicos como o ISIS. Exaltado, disse que responderia quando quisesse e que ela não poderia interrompê-lo. A apresentadora tentou acalmá-lo, mas ao mandá-la calar a boca, Rima cortou a entrevista. “Foi o suficiente. Vamos encerrar. Ou há respeito mútuo, ou a conversa termina”.

O sheik demonstra total arrogância, enquanto a apresentadora pede para que ele foque no tópico, uma vez que não possui tempo suficiente para uma resposta mais elaborada.

“Vamos voltar ao nosso tópico. É melhor do que gastar nosso tempo discutindo”, pede Rima Karaki.

“Já acabou? Cale a boca para que eu possa falar”, responde o sheik.

“Como um sheik respeitado como o senhor manda uma apresentadora calar a boca?”

“Eu sou respeitado, você gostando ou não…”

“É o suficiente. Vamos encerrar. Um segundo: ou há respeito mútuo ou a conversa termina”.

Ao final, é possível supor que o desconforto do sheik não era somente por ter sido interrompido, mas pelo fato do programa ser comandado por uma mulher.

A discussão teria ido ao ar no dia 2 de março, segundo o Instituto de Pesquisa de Mídia do Oriente Médio (MEMRI), que subiu o vídeo em seu canal no Youtube.

No entanto, o site Mic diz que o MEMRI é uma organização pró-Israel e famosa por fazer curadoria de conteúdos que denigrem a cultura árabe e muçulmana. Além disso, o Mic reporta que usuários fluentes em árabe questionam a tradução feita pelo MEMRI, de que Al-Siba’i, o sheik, teria dito mulher ao final do vídeo, para demonstrar sua insatisfação com o fato da apresentadora ser mulher.

No entanto, segundo reportagem do Daily Dot, o sheik Al-Siba’i teria ligações com o grupo terrorista Al-Qaeda, enquanto a apresentadora Rima Karaki é aclamada em seu país, o Líbano, por sua postura firme, mesmo em um país com diversas leis machistas.

Uma blogueira libanesa, Elie Fares, do A Separate State of Mind, descreve a atitude da apresentadora como corajosa. “Rima Karaki fez algo que muitas mulheres na região têm medo de fazer: levantarem-se contra um assediador que é protegido por leis religiosas e medo que o permitem prosperar”.

Mais um ponto para as mulheres!