Apple comemora a vitória do casamento igualitário na Austrália em fofo comercial

27. Fevereiro 2018 Internet 0
Apple comemora a vitória do casamento igualitário na Austrália em fofo comercial

Foi no final de 2017 que a Austrália se tornou mais um país a legalizar o casamento entre pessoas do mesmo gênero. Depois de mais de 60% da população se demonstrar a favor do então projeto de lei, e do apoio do Senado, o Parlamento australiano permitiu que gays e lésbicas pudessem, enfim, se casar.

Foi uma vitória e tanto, que começou a ser celebrada em dezembro passado, quando dois casais de lésbicas resolveram trocar alianças. E esse grande passo para a comunidade LGBT ganhou um fofo comercial feito pela Apple. Para divulgar o iPhone X, a gigante da tecnologia gravou a primeira dança de diversos casais depois dizerem o famoso ‘aceito’ em frente aos amigos e familiares.

“Grave o momento, no momento, com o iPhone X”, diz a descrição do vídeo no Youtube.

Três casais ganharam ainda pequenos clipes de suas valsas: Meg e Anne Marie, Nick e Rob, Anthony e Ron.

A Apple tem um histórico de apoio aos direitos da população LGBT. Ela foi uma das empresas que ajudou a pressionar a Suprema Corte dos Estados Unidos a aprovar o casamento igualitário no país em 2015. No ano passado, a empresa de Cupertino pediu ao judiciário americano para que proteja funcionários LGBT de discriminação no ambiente de trabalho em casos de homofobia, e foi contra leis anti-LGBT no Estado de Indiana.

É importante lembrar também que, em 2014, o presidente da Apple, Tim Cook, assumiu que é gay em um artigo publicado no site da revista Bloomberg Businessweek.

Tenho orgulho em ser gay, e acho que ser gay foi um dos maiores dons que Deus me deu”, escreveu o CEO. “Ser gay me fez compreender, de uma maneira profunda, o que significa pertencer a uma minoria e permitiu-me vislumbrar os desafios diários que outras minorias enfrentam. Tornou-me numa pessoa mais empática, o que enriqueceu a minha vida. Por vezes, foi difícil e desagradável, mas deu-me a confiança para ser eu mesmo, para seguir o meu caminho e para levantar a cabeça perante as adversidades e a intolerância”.