Ao vivo no Lollapalooza, Titi Müller critica letras machistas do DJ Borgore

26. Março 2017 POP 0
Ao vivo no Lollapalooza, Titi Müller critica letras machistas do DJ Borgore

É preciso ter muita coragem para chamar de ‘machista’ um DJ muito conhecido, prestes a realizar um show em um festival. Mas foi exatamente isso o que a apresentadora Titi Müller fez antes de anunciar o DJ israelense Borgore na transmissão ao vivo do canal Bis.

Ao comentar a carreira do DJ, Titi lembrou que, com a fama adquirida, músicas com letras “machistas, misóginas, babacas mesmo”, também foram ganhando a mesma atenção.

“O grande lance é que, na medida que ele foi ganhando visibilidade, as letras compostas por ele, extremamente machistas, misóginas, babacas mesmo, foram ganhando visibilidade e, obviamente, muitas críticas”, disse a apresentadora. “Teve muita gente que foi em defesa dele, inclusive a própria Nervo [dupla feminina de DJs], que vai tocar aqui hoje, e não autorizou a nossa transmissão, falou que apesar de ele compor letras do tipo: ‘aja como uma vadia, mas antes lave a louça’. Eu não sei como interpretar isso. Ela falou que isso é só um personagem. Querido, na próxima encarnação, invente um personagem melhor”.

Ouch!

E isso não foi tudo. Titi não queria ter a tarefa ingrata de ter de anunciar o DJ Borgore para o palco, mas foi preciso fazê-lo. Porém, ela saiu com um sorriso no rosto.

“Eu queria dizer que machistas não passarão, mas vai passar agora, pelo menos no palco Perry. É isso ai, Borgore. Vai que é tua, querido”, disse a apresentadora visivelmente incomodada. Contudo, a câmera voltou a ela, logo em seguida. “Opa! Cortou o Borgore. Não vamos mais passar o Borgore, tadinho. Quem quiser assistir, pode ir no site do Multishow, que tá lá o palco Perry na íntegra, sendo machista ou não”.

Semanas antes do DJ se apresentar no Lollapalooza, o G1 preparou um especial sobre o israelense, no qual o machismo de suas músicas também foi mencionado.

“‘Nympho’, uma das músicas mais conhecidas de Borgore, tem este verso: ‘Essa vagabunda é tão usada que eu não a venderia numa loja de segunda mão / Sua buceta é tão larga'”.

“É difícil justificar, mesmo como piada, uma letra como a de ‘Glory Hole’: ‘Meu Deus, é uma baleia (…) / Mamíferos do mar não estão na minha lista de fodas/ Cara, é um ‘glory hole’ / Dane-se se ela é obesa'”.

O Buzzfeed chegou a conversar com Borgore em 2014 sobre ele ser considerado ‘misógino’, ou como a própria reportagem diz, ‘o homem mais odiado do EDM [estilo de música eletrônica]’.

“É completamente o oposto: eu amo as mulheres para caralho”, afirmou o DJ. “Metade do meu Twitter está rindo de judeus e eu sou judeu. A vida é uma droga. Quando as pessoas estão denegrindo as mulheres, é ridículo, eu rio disso”.

Da última vez que eu chequei, você pode ‘amar as mulheres’ e ainda ser um baita de um misógino. Mas quem se importa, quando um homem faz milhões de dólares em cima de músicas humilhando mulheres, né?

Parabéns à Titi Müller pela coragem. Pelo Twitter, ela fez pequenos comentários sobre a situação, dizendo que “falei foi pouco” e que não fez mais do que sua obrigação. Mas como não é tão comum ver uma mulher chamar um homem de machista para todo mundo assistir, eu vou apenas parabenizá-la de novo e esperar que machistas, daqui pra frente, não passem mesmo.

Tags:


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *