Abaixo-assinado pede que a Warner Bros reconheça a bissexualidade da Mulher-Maravilha

02. outubro 2017 Cinema 0
Abaixo-assinado pede que a Warner Bros reconheça a bissexualidade da Mulher-Maravilha

Foram anos de espera até que uma super-heroína ganhasse um filme solo nos cinemas, mas tomara que não tenhamos que esperar tanto tempo para ver um super-herói bissexual. E se depender dos fãs da “Mulher-Maravilha”, isso deve acontecer o quanto antes. É que eles começaram um abaixo-assinado para que a Warner Bros reconheça a bissexualidade da personagem no próximo filme de Diana Prince.

“MM” se tornou uma das produções mais lucrativas do ano, arrecadando mais de US$ 820 milhões de bilheteria no mundo todo, e sedimentando o caminho para novas heroínas nas telonas. E por ser um filme tão popular, seria muito positivo que a sexualidade da personagem fosse afirmada na continuação das aventuras comandadas pela diretora Patty Jenkins.

No ano passado, o roteirista da Mulher-Maravilha nos quadrinhos confirmou que ela é, de fato, bissexual. O que faz sentido, afinal, onde ela mora, a ilha de Themyscira, é toda habitada por mulheres. Logo, o único relacionamento que ela teria, antes de Steve Trevor, seria com outras mulheres.

Assim, integrar esse detalhe à trama de Diana Prince no cinema seria manter-se fiel às HQs e algo muito bem-vindo. Um longa do tamanho de “MM” é exibido em diversos países, o que gera uma exposição enorme à comunidade bissexual, que é muito pouco representada nas artes e sofre com estereótipos nocivos quando veem suas vivências sendo adaptadas na sétima arte. Em 2016, por exemplo, apenas 6 personagens bissexuais foram apresentados nos 100 maiores filmes daquele ano.

E se você precisa de mais argumentos, Gianna Collier-Pitts, fã da super-heroína, possui muitos deles no abaixo-assinado que fizeram.

“A maioria da comunidade LGBT se identifica como bissexual ou tendo atração a mais de um gênero. Ainda assim, eles são os menos compreendidos de qualquer identidade. Nós somos hiperssexualizados e pouco representados. Somos chamados de gananciosos, desonestos e confusos. Somos os que têm menos probabilidade para se assumir e temos uma tendência maior a sofrer com ansiedade e depressão, além de sermos os que mais experienciam altos índices de violência doméstica/sexual. Nos fazem invisíveis e, ao fazer isso, nós começamos a nos ver como invisíveis. Fazer a Mulher-Maravilha bissexual no cinema faria dela a primeira super-heroína LGBT de qualquer gênero, seja nos universos cinematográficos da DC ou da Marvel, e isso solidificaria seu lugar como modelo para mulheres de todas as idades e identidades”.

Embora a sexualidade da personagem tenha ficado de fora do primeiro filme, quem sabe em um segundo ela não possa vir a ser explorada? Gal Gadot, atriz que interpreta Diana Prince, também parece ser a favor disso.

“Quando você fala, teoricamente, que todas as mulheres de Themyscira e quanto tempo ela [a Mulher-Maravilha] passou ali, então, faz sentido o que ele [Greg Rucka, roteirista da “MM”] disse”, contou a artista israelense à revista Variety. “Nesse filme, ela não tem nenhum relacionamento bissexual. Mas não é sobre isso. Ela é uma mulher que ama as pessoas pelo que elas são. Ela pode ser bissexual. Ela ama as pessoas por seus corações”.

Portanto, se você é a favor de uma Mulher-Maravilha bissexual, assine a petição aqui.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *