A família Trump pode ter influenciado Tilda Swinton em seu papel no filme “Okja”

A família Trump pode ter influenciado Tilda Swinton em seu papel no filme “Okja”

Para ajudar a compor Lucy, sua maligna personagem em “Okja”, novo filme da Netflix que foi exibido no Festival de Cannes, Tilda Swinton teve uma ‘ajudinha’ da família Trump. Em conversa com o site The Wrap, a atriz evitou citar nomes, mas deixou claro que a inspiração para o seu papel, no qual vive uma mulher de negócios, filha de um empresário, veio de uma mulher com uma história de vida bem parecida (caso você esteja se perguntando, ela é Ivanka Trump, filha de Donald Trump).

“Quando gravamos em Nova York, no verão passado, eu fiquei assistindo à convenção Republicana na televisão durante o nosso almoço. Eu estava vestida como a Lucy, assistindo uma diferente filha, de uma diferente e duvidosa dinastia, falando do alto de um pódio para uma multidão, com seus cabelos loiros, sorriso caro e com seu vestido de Barbie cor de rosa”.

Segundo a própria Tilda, sua personagem é uma “herdeira de uma grande e podre fortuna, construída sobre iniciativas corruptas e moralmente repugnantes iniciadas por seu pai”. Parece que já vimos esse filme antes, não?

“Okja”, filme dirigido pelo sul-coreano Bong Joon Ho, narra a luta da pequena Mija (Seo-Hyun Ahn) para conseguir seu amigo de volta, o qual é uma criatura geneticamente modificada, e parece uma mistura de porco com hipopótamo. Ele é levado pela empresa multinacional de Lucy Mirando, que quer lucrar em cima da carne do animal.

Assim como a criatura é difícil de explicar, o filme também é. A princípio, é fácil considerá-lo como feito para o público infantil, mas as questões apresentadas nele, como a caça de animais e a loucura do capitalismo, tornam a obra muito mais complexa do que ela aparenta ser.

O longa-metragem estreou no Festival de Cannes, na semana passada, sob vaias e aplausos. A começar que a Netflix não lança suas produções nas salas de cinema, o que incomodou muita gente no evento. Depois, a empresa se recusou a exibir “Okja” nos cinemas franceses, levando Cannes a adotar uma nova medida: a partir do ano que vem, os filmes só poderão concorrer no evento caso sejam apresentados nas salas do país.

A Netflix recusou, obviamente, e isso pode custar sua participação no festival nos próximos anos. Indo além, segundo a revista Variety, há uma lei na França que obriga as distribuidoras a esperar 36 meses antes de disponibilizar um filme na internet. E como a gente bem sabe, a plataforma de streamings lança suas obras diretamente para seus assinantes. Ou seja, o futuro da Netflix em Cannes é muito incerto.

Mas não foi apenas isso que incomodou quem foi assistir à estreia de “Okja”. Problemas técnicos logo no início do longa o forçaram a ter sua abertura apresentada de novo. Contudo, o filme foi muito aplaudido e elogiado ao final.

“Sempre acontecem problemas técnicos nos festivais, estou muito feliz porque vocês assistiram as primeiras cenas duas vezes”, disse Bong Joon Ho em uma coletiva de imprensa. 

Além de Tilda Swinton e Seo-Hyun Ahn, também estão no elenco Jake Gyllenhaal, Paul Dano, Steven Yeun, Lily Collins e Shirley Henderson. Dirigido e escrito por Bong Joon Ho (Jon Ronson divide os créditos do roteiro), “Okja” chega na Netflix no dia 28 de junho.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *