2017 foi um ano difícil para as mulheres e as indicações ao Grammy Awards refletem isso

28. novembro 2017 POP 0
2017 foi um ano difícil para as mulheres e as indicações ao Grammy Awards refletem isso

Os indicados ao Grammy Awards do ano que vem foram revelados agora pouco e deixaram muita gente surpresa. Jay-Z saiu na frente de todos e concorre em 8 categorias, incluindo Álbum/Gravação/Canção do Ano. Atrás dele vem Kendrick Lamar, que possui 7 indicações, acompanhado de perto por Bruno Mars, que foi lembrado em 6 categorias. 

Nas categorias principais, dois pontos chamam a atenção: em Álbum do Ano, quatro dos cinco indicados são negros: Jay-Z, Bruno Mars, Kendrick Lamar e Donald Glover (Childish Gambino). Contudo, Lorde é a única mulher na categoria. Em Gravação do Ano, também há apenas um branco na disputa, mas nenhuma representante feminina (Donald Glover – “Redbone”, Luis Fonsi & Daddy Yankee feat. Justin Bieber – “Despacito”,  JAY-Z – “The Story of O.J.”, Kendrick Lamar – “HUMBLE.” e Bruno Mars – “24K Magic”). 

Na categoria Canção do Ano, Julia Michaels e o hit “Issues”, e a parceria de Alessia Cara com o rapper Logic e Khalid, formam as únicas mulheres concorrendo ao gramofone dourado. Por fim, as duas artistas disputam com SZA o título de Artista Revelação. É positivo que os indicados ao Grammy sejam bem diversos, especialmente com artistas que vêm do hip-hop, gênero musical mais ouvido nos Estados Unidos atualmente.

Ainda assim, é difícil não se decepcionar com a falta de mulheres nas três categorias principais. Taylor Swift, que quebrou recordes com “Look What You Made Me Do”, não recebeu nenhuma indicação, assim como Katy Perry, Halsey e outras cantoras. Lady Gaga e Kesha ficaram restritas às categorias pop, e Cardi B, que estourou com o single “Bodak Yellow”, foi indicada apenas nas categorias de rap.

E embora a ausência das mulheres seja muito sentida, as indicações refletem o difícil ano que elas tiveram para emplacar trabalhos. Em 2017, artistas femininas viram seus álbuns e singles terem dificuldade para subir nas paradas musicais. Camila Cabello, Rihanna, Demi Lovato, Cardi B, Alessia Cara, SZA e, principalmente, Taylor Swift, ainda viram suas canções entrarem no Top 10 da Billboard, como também tiveram algum sucesso na parada do Spotify. Ainda assim, o ano foi dominado por homens.

Aliás, em julho, Rihanna foi a responsável por acabar com um período de 12 semanas sem uma artista feminina no top 5 da Billboard. Isso não acontecia desde 1982, quando nenhuma mulher esteve no ranking por 14 semanas consecutivas. Porém, vale lembrar que “Wild Thoughts” era um featuring de Riri, que acabou realizando algo que havia sido feito pela última vez por Taylor Swift em abril, quando ela chegou à terceira posição, com “I Don’t Wanna Live Forever”.

Na atual lista de álbuns mais vendidos da semana, Taylor Swift ainda reina no primeiro lugar com o disco “Reputation”, seguida por P!nk e o “Beautiful Trauma” em quinto lugar. Mas depois dela, apenas Sia aparece em 13º lugar com o álbum natalino “Everyday Is Christmas”. E nos primeiros seis meses de 2017, nenhuma mulher apareceu na lista dos álbuns mais vendidos. 

O machismo tem uma parte nisso tudo, obviamente. Apesar de Cardi B ter feito sucesso com “Bodak Yellow”, o hip-hop deu mais oportunidades para os homens fazerem sucesso nas plataformas de streaming. O EDM é outro gênero muito escutado, e que também possui um domínio masculino. No que diz respeito ao pop, Katy Perry, Halsey e Lorde lançaram discos novos neste ano, todas fazendo emplacando seus trabalhos em primeiro lugar, apesar das baixas vendas. Lady Gaga também continuou a divulgação do álbum “Joanne” e lançou uma música nova, “The Cure”, mas nenhuma delas conseguiu fazer grandes momentos em 2017.

Além disso tudo, como explicamos em julho, fazer sucesso enquanto mulher é mais difícil do que para os homens, os quais têm uma liberdade muito maior para errar e se reerguer. Suas colegas do gênero oposto, contudo, sofrem uma pressão muito maior sobre suas aparências, músicas e estratégias de divulgação de seus trabalhos.

O ano foi péssimo para as mulheres e o Grammy acabou refletindo isso. Assim como torcemos para que o segundo semestre fosse melhor para elas – e foi em parte, graças a Cardi B e Taylor Swift -, continuamos na torcida para que 2018 dê mais espaço para elas triunfarem.

A lista completa dos indicados ao Grammy Awards está aqui.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *