16 celebridades que já foram vítimas de violência contra a mulher

26. novembro 2016 Famosos 1
16 celebridades que já foram vítimas de violência contra a mulher

“Durante os 16 dias de ativismo na luta contra a violência à mulher, blogs envoltos pelo #feminismonerd, se propuseram a discutir as problemáticas em torno da representação de mulheres como uma matriz que reitera os discursos de violência e ódio, quanto veículos que visibilizam a discussão. Sabemos que, apenas a exposição e discussões possibilitam o combate direto, a resolução e identificação do problema. Como reitera a escritora e teórica feminista Audre Lorde : é preciso transformar o silêncio em linguagem e ação”.

Em maio deste ano, dois casos de violência contra a mulher chamaram a atenção do Brasil e do mundo. No Rio de Janeiro, uma adolescente de 16 anos foi vítima de um estupro coletivo; enquanto nos Estados Unidos, a atriz Amber Heard entrou com um pedido de divórcio do seu então marido, Johnny Depp, após ter sido agredida por ele.

São duas realidades bem distintas dessas mulheres, mas, como lembrou Arlanza Maria Rodrigues Rebello, coordenadora do Núcleo de Defesa dos Direitos da Mulher (NUDEM/RJ), em entrevista ao RJTV, “as mulheres, vítimas [de violência], estão em todas as classes sociais”. E isso pode ser confirmado ao verificarmos as estatísticas sobre a violência de gênero no Brasil, por exemplo.

O país registra um caso 1 caso de violência contra a mulher a cada 7 minutos (a maioria das vítimas são negras). A cada 4 minutos, uma mulher é atendida em unidades do Sistema Único de Saúde (SUS). E a cada 11 minutos, uma mulher é estuprada, um crime ainda muito subnotificado: de acordo com as informações do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, estima-se que apenas 10% deles sejam denunciados. E no mundo todo, cinco mulheres morrem por hora em decorrência da violência doméstica.

Ontem, 25, foi o Dia de Luta Pelo Fim da Violência Contra a Mulher, data criada pela Organização das Nações Unidas ONU). Ela marca o início de uma campanha de 16 dias de enfrentamento a esse grave problema social, e termina exatamente no dia 10 de dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos.

Aqui no Prosa Livre, estamos colaborando com outros blogs para a discussão sobre o tema. Ontem, fizemos uma lista de 16 filmes que discutem a persistente violência contra a mulher. Hoje, publicamos uma lista de 16 mulheres famosas que já vivenciaram diferentes tipos de agressões.

Confira:

Mariah Carey:

😘

A photo posted by Mariah Carey (@mariahcarey) on

Mariah Carey foi casada com o antigo presidente da Sony Music, Tommy Mottola, entre 1993 e 1997. Durante o período, o relacionamento dos dois foi marcado pelos abusos e pelo jeito controlador dele. Em uma entrevista feita em 2009 para a CNN, Mimi não citou o nome do ex-marido, mas falou sobre uma relação ruim que teve com um homem mais velho (Mottola era 20 anos mais velho que ela quando se casaram):

“O abuso pode vir de várias formas: emocional, mental… Eu acho que você entra em uma situação, e sente-se presa. Se sua situação for similar às situações que eu estive, as quais eu não vou me prolongar. Para mim, sair daquilo foi difícil, porque havia uma conexão que não era somente um casamento, mas negócios. A pessoa estava em controle da minha vida”.

Na música “Side Effects”, escrita por Mariah e que integra o disco “E=MC²”, ela diz que mesmo depois de muitos anos, ainda sofre com os efeitos colaterais dos anos de abuso.

Rihanna:

clocked. in. #O8

A photo posted by badgalriri (@badgalriri) on

Um dos casos mais conhecidos do mundo, Rihanna sofreu agressões físicas do seu então namorado, o cantor Chris Brown, em 2009, antes da entrega do Grammy Awards.

“Não era a mesma pessoa que diz ‘eu te amo’. Não eram aqueles… olhos”, disse Riri em uma entrevista. “Ele não tinha nenhuma… alma em seus olhos. Apenas o vazio. Ele estava claramente sem os sentidos. Não havia nenhuma pessoa quando eu olhava para ele”.

Brown foi condenado a cinco anos de liberdade condicional e a prestar serviços comunitários. Anos depois, os dois reataram o relacionamento, mas terminaram mais uma vez. Capa da Vanity Fair em 2015, Rihanna contou à revista que pensava ser capaz de mudar o ex-namorado.

“Eu era muito protetora dele. Eu sentia que as pessoas não entendiam ele. Mesmo após [a agressão]… Mas sabe, depois de um tempo naquela situação você percebe que você é o inimigo. Se você suporta o que está acontecendo, talvez esteja aceitando que merece esse tipo de coisa, e foi aí que eu finalmente tive que dizer ‘fui estúpida em pensar que poderia aguentar isso'”.

Lady Gaga:

Uma foto publicada por xoxo, Joanne (@ladygaga) em

Em 2014, Lady Gaga revelou ter sido estuprada por um homem quando tinha 19 anos, e contou que a música “Swine”, do disco “Artpop”, é sobre a violência que sofreu. No ano passado, ela fez a música “Till It Happens To You”, para o documentário “The Hunting Ground”, o qual denuncia o estupro dentro das universidades americanas.

Em um bate-papo promovido pelo jornal The New York Times, ela contou que foi mudada pela agressão que sofreu.

“Acho que eu não contei a ninguém por sete anos. Eu não sabia o que pensar sobre isso, eu não sabia como aceitar o que aconteceu. Eu não sabia como não me culpar ou pensar que a culpa não era minha. Foi algo que mudou minha vida, mudou quem eu era completamente”.

Kesha:

👻

A photo posted by Kesha (@iiswhoiis) on

Outro caso muito conhecido é o de Kesha. Ela movia um processo contra o produtor Dr. Luke, no qual ela acusava-o de abusos sexuais, físicos e mentais. Por conta do seu contrato com a gravadora dele, que pertence à Sony, ela está impedida de lançar novas músicas sem o produtor.

Em fevereiro deste ano, após perder a primeira liminar do processo, ela escreveu uma mensagem no Facebook:

“Tudo o que eu queria era ser capaz de fazer música sem medo ou abusada. Esse caso nunca foi sobre renegociar meu contrato –  nunca foi sobre ser um contrato maior ou melhor. É sobre estar livre do meu agressor. Eu adoraria trabalhar com a Sony, se eles fizessem a coisa certa e quebrassem todas as cordas que me ligam ao meu abusador. Mas a esse ponto, a questão é muito maior do que eu”.

Whitney Houston:

whitney_houston

Bobby Brown e Whitney Houston foram casados por 15 anos, uma união destrutiva, marcada por “agressões e cocaína”, como descreve o Daily Beast.

“Ele era minha droga”, comentou Whitney em uma entrevista para Oprah Winfrey. “Eu não fazia nada sem ele. Eu não ficava alucinada sozinha. Era eu e ele, juntos, e nós éramos parceiros. E isso era minha alucinação: ele. Ele e eu juntos. E tudo o que fazíamos, fazíamos juntos. Não importa o que fosse, fazíamos juntos.”

Em 2003, a cantora ligou para a polícia após uma agressão de Bobby, que acabou se entregando e foi condenado pelo crime.

Tina Turner:

tina-turner

A relação de Tina e Ike Turner ficou marcada pelas constantes agressões do ex-marido da cantora. Os dois se conheceram em 1959, e fizeram um enorme sucesso juntos. Contudo, o comportamento violento de Ike fez com que Anna Mae Bullock (nome verdadeiro da artista) se separasse dele. Segundo ela contou em seu livro autobiográfico, Tina teve sua mandíbula quebrada e teve uma “sangrenta briga” com o ex dentro de uma limusine.

Um filme sobre a vida da cantora foi lançado em 1993, e mostra alguns episódios de violência que sofreu. Ike Turner morreu em 2007.

Amber Heard:

Em maio, a atriz Amber Heard pediu o divórcio de Johnny Depp, com quem foi casada por 15 meses, alegando ter sido agredida pelo ex-marido. Ela também conseguiu uma ordem de restrição contra o ator, apresentando imagens em que mostram hematomas em seu rosto e citou um episódio em que “temeu pela própria vida”.

Em agosto, ela doou o dinheiro que recebeu do divórcio para caridade, especialmente para campanhas “com um foco em combater a violência contra a mulher”.

Luana Piovani:

Em 2008, Dado Dolabella, que se declara um homem feminista, agrediu sua então namorada, a atriz Luana Piovani, e a camareira Esmeralda de Souza. Condenado, o advogado de Dado recorreu da sentença de dois anos e nove meses de prisão em regime aberto e; em 2012, a 7ª Câmara Criminal do Rio decidiu que não tinha competência de julgar o caso com base na Lei Maria da Penha.

Em 2013 o processo foi anulado. Na sentença, o desembargador Sidney Rosa da Silva justificou dizendo que o fato dos atores namorarem e não morarem juntos não poderia configurar o caso como violência doméstica, acrescentando que Luana também não era uma mulher em situação de vulnerabilidade. “É público e notório que a indicada vítima nunca foi uma mulher oprimida ou subjugada aos caprichos do homem.”

No ano seguinte, o Superior Tribunal de Justiça (STJ), em Brasília, decidiu que a Lei Maria da Penha se aplica ao caso. Apesar de ser condenado de nove meses de prisão, Dado não cumpriu a pena porque o crime prescreveu em quatro anos, em 2012.

Sharon Osborne:

Em 1989, Ozzy Osbourne quase matou sua ex-esposa, Sharon Osbourne, ao tentar estrangulá-la na casa que era dos dois no Reino Unido.

“Ele [Ozzy] estava bebendo e tomando drogas e isso chegou ao ponto em que ele ficou violento comigo e quase me sufocou até a morte, e eu chamei a polícia”, revelou a empresária em um programa de televisão. Na época, ela disse que “ele é um presente de Deus, mas, se eu tivesse uma arma, eu a teria usado.”

Luiza Brunet:

Em julho deste ano, a modelo Luiza Brunet denunciou seu ex-marido, o empresário Lírio Parisotto, por agressão. Em depoimento ao Ministério Público (MP) de São Paulo, ela afirmou ter sido agredida mais de uma vez por ele nos quase cinco anos de relacionamento.

“Dei publicidade ao caso para que outras mulheres vítimas de violência tomem coragem e não se calem. Afirmo que não agredi ninguém e fui vítima de uma agressão covarde. A verdade prevalecerá”, disse Luiza em uma nota.

Madonna:

Uma foto publicada por Madonna (@madonna) em

O casamento de Madonna e Sean Penn durou quatro anos, entre 1985 e 1989, e foi marcado pelas supostas agressões do ator contra a ex-mulher. Em junho de 1987, ele teria batido na popstar com um taco de baseball.

Segundo uma denúncia feita por Madonna á polícia, e obtida pelo Daily Mail, a cantora foi amarrada em uma cadeira pelo ex-marido, após uma discussão com ele. O que aconteceu a seguir foi um verdadeiro pesadelo: foram várias horas de abuso físico e sexual. Quando conseguiu escapar, ela foi à polícia e Sean foi preso. Uma semana depois ela pediu o divórcio, mas retirou as queixas contra ele.

Contudo, no ano passado, Madonna saiu em defesa do ex-marido, que foi acusado de violência doméstica por Lee Daniels, cocriador da série “Empire”. Penn moveu um processo contra ele, acrescentando uma carta da ex-esposa, a qual negou que tenha apanhado durante o casamento.

“Sean nunca me bateu, ‘me amarrou’ ou me agrediu fisicamente e qualquer notícia contrária é um absurdo completo, malicioso irresponsável e falso.”

Sarah Hyland:

Em 2014, foi revelado que a atriz de “Modern Family” havia sido espancada por seu ex-namorado Matt Prokop. Ela pediu e conseguiu uma ordem de restrição contra ele, que havia ameaçado se matar após o fim do relacionamento.

Em documentos do processo, Sarah teria dito que Matt tentou estrangulá-la.

“Seu aperto era tão apertado que eu não podia respirar ou falar. Eu estava assustada e temendo pela minha vida”.

Gretchen:

gretchen

Em um programa de televisão, Gretchen falou sobre os relacionamentos e casamentos que teve em sua vida. Em um deles, ela chegou a denunciar um homem com quem estava noiva por agressão. Infelizmente, não havia sido a primeira vez que ela fora atacada:

“Não foi a primeira vez que eu apanhei. Mas essa foi a vez que eu tive coragem de denunciar”, afirmou. “Por muito tempo, tinha aquela consciência de que a mulher tinha que aceitar tudo o que o marido fazia e apanhei muito. Até que entendi que não seria feliz se continuasse assim e denunciei”.

Mary J. Blige:

Minha mãe foi terrivelmente abusada pelo meu pai. Ele nos abandonou quando eu tinha 4 anos, mas de tempos em tempos ele voltava para abusar de novo”, contou Mary J. Blige.

Segundo o Biography.com, Mary e sua mãe fugiram de onde moravam, e acabaram entrando num projeto de moradia. Mas o novo lar não trouxe nenhum alívio para elas.

“Eu ouvia mulheres gritando e correndo de homens que batiam nelas. As pessoas nos perseguiam com armas. Eu nunca vi uma mulher ali que não foi abusada. Era um lugar perigoso. Não queriam que ninguém saísse. Quando eu tinha 5 anos, fui violentada sexualmente. Minha mãe era mãe solteira e trabalhava. Ela nos deixava com pessoas que achou que podia confiar. Eles me machucaram”.

Em 2014, a cantora transformou a dor na música “Whole Damn Year”.

Halle Berry:

Em 1996, Halle Berry contou à revista People que um ex-namorado bateu tanto nela que seu tímpano chegou a ser perfurado. Quase 20 anos depois, em 2015, a atriz participou de um evento de arrecadação de fundos para uma instituição que presta assistência a mulheres vítimas de violência doméstica. E na ocasião, ela disse que além dela, sua própria mãe também fora agredida.

“Eu vi minha mãe ser espancada por muitos anos e senti que não podia fazer nada”, disse a artista. “E é isso o que me conecta a essa organização. Eu tenho um entendimento, um conhecimento. Sinto que tenho algo a dizer para essas mulheres. Parece que eu superei isso, mas na verdade não. No silêncio da minha mente, eu ainda luto com isso. Então, ao ajudar essas mulheres, eu ajudo a mim mesma também. E é por isso que eu estou aqui.”

Palmirinha:

A apresentadora contou à revista QUEM que foi vítima de violência doméstica por parte do falecido marido. Ela também explicou à publicação o motivo para não ter se separado dele.

“Ele era machista… Mário nunca tocou nas minhas filhas, mas eu apanhava muito, ele tinha muitas mulheres. Era um mau elemento. E me deixou por outra”, afirmou. “Naquela época, a mulher separada não prestava. Tinha medo de que minhas filhas não fizessem um casamento bom por ter uma mãe separada. A mulher separada não tinha boa fama, sabe? Então, fui aguentando meu marido. Mas que Deus o conserve em bom lugar”.

BLOGS QUE PARTICIPAM DESTA AÇÃO COLETIVA:

Momentum Saga

Collant Sem Decote

Nó de Oito

Delirium Nerd

Vanilla Tree

Preta, Nerd & Burning Hell

Ideias em Roxo

Psicologia & Cultura Pop

Minas Nerds

Iluminerds

Kaol Porfírio

Valikírias

Pac Mãe.


1 thought on “16 celebridades que já foram vítimas de violência contra a mulher”

  • 1
    J .F.Diniz on 08/10/2017 Responder

    Hoje fui agredida pelo meu marido foi uma agressão verbal e moral e na hora em que ele começou a grita comigo jogou um prato de comida no chão,Isso m deixou com medo nunca passei por isso….e assustador obrigada por vcs darem essa oportunidade pra compartilhamos essa experiências q são assustadoras pra nós mulheres
    .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *