15 celebridades honestas sobre gravidez e maternidade

15 celebridades honestas sobre gravidez e maternidade

Hoje é Dia das Mães, data para homenagearmos as pessoas que desempenharam um papel importante na nossa formação e em nossas vidas (nem tanto para algumas pessoas, infelizmente).

Dito isso, nós não nos damos conta do quanto as mães fazem verdadeiros sacrifícios para criarem seus filhos. Tampouco percebemos como não é algo bonito e fácil como as propagandas tentam nos fazer acreditar. A maternidade é, muitas vezes, exaustiva, complicada e, não raro, algo solitário. Somente no Brasil, por exemplo, há mais de 20 milhões de mães solteiras.

Há uma pressão enorme para que as mulheres desempenhem essa função com um sorriso no rosto e gratidão. Não quero dizer que ser mãe é algo somente ruim, de forma alguma. Tenho certeza, pelo que observei das mães à minha volta, que a maternidade transforma a vida, de uma maneira positiva e alegre. Mas, ao mesmo tempo, é preciso ter em mente como nem tudo são flores.

A seguir você lerá 15 celebridades que foram honestas sobre gravidez e maternidade, de uma forma que nem sempre é dita:

Kim Kardashian:

15 CELEBRIDADES HONESTAS SOBRE GRAVIDEZ E MATERNIDADE

“Vou ser honesta: para mim, a gravidez foi a pior experiência da minha vida! Risos. Eu não curto nenhum momento dela e não entendo as pessoas que curtem. Talvez sejam os inchaços, as dores nas costas ou a loucura que é seu corpo crescer e nada te servir. Eu sinto como se não estivesse na minha própria pele.”

Mãe de duas crianças, Kim Kardashian escreveu em seu site pessoal que não gosta de estar grávida. E antes de julgá-la por sua declaração, lembremos que a gestação vem acompanhada dos enjoos, mudanças de humor, mudanças hormonais, entre outras coisas.

“As pessoas não dizem todas as coisas nojentas que acontecem durante a gravidez e depois dela. Você sabia que, basicamente, você precisa vestir uma fralda por dois meses depois? Risos. Ninguém me disse isso!”

O relato de Kim oferece um novo olhar sobre a gravidez e sobre a ideia romântica que é vendida de que é algo fácil e tudo é perfeito. Ainda que muitas mulheres gostem mesmo desse período, é preciso reconhecer que a mesma experiência não é igual para todas elas, como mostra a segunda filha da família Kardashian.

E embora não goste do período gestacional, ela afirma que, no final, “tudo vale muito a pena quando você tem seu precioso bebê. Então, apesar da minha reclamação, vale 100% a pena e mais!”

Kerry Washington/ Kate Winslet:

kate-winslet-kerry-washingtonSobre voltar ao corpo de antes da gravidez:

“Algumas semanas atrás, minha empresária disse: ‘Você acha que voltou? Sinto que você voltou. Sei que ela disse como se fosse um elogio, mas nós tivemos essa ótima conversa, e eu disse: ‘Sabe de uma coisa? Eu tento muito não usar essa linguagem, porque não quero voltar na minha vida.’ Estive muito focada em não ‘voltar’ a nada, mas ser a melhor versão de mim mesma agora.” (Kerry Washington – SELF)

Há uma pressão enorme para que as mulheres se adequem a padrões estéticos dificílimos de serem alcançados e não seria diferente quando elas estão grávidas e depois do parto. Se você fizer uma busca na internet, vai achar diversas dicas para ‘engravidar sem engordar’ e ‘voltar ao corpo de antes da gravidez’.

Essa é uma preocupação que Kerry Washington não tem. Atualmente grávida do segundo filho, ela estava tranquila com seu corpo após dar à luz à filha Isabelle, em 2014, assim como a atriz Kate Winslet também esteve após o nascimento de seu terceiro filho.

“Há uma parte de mim – agora, mais do que nunca – que se sente responsável pela forma como outras mulheres se enxergam. Por exemplo, ter um filho. Entrei em dieta para perder o peso que adquiri com a gravidez? Não. Com certeza, não. Eu não queria mesmo ser uma daquelas do tipo: ‘Uau! Ela voltou ao corpo de antes após 12 semanas.’ Quando leio coisas assim, eu penso: ‘puta merda, isso é impossível.’ Eu não estava nem um pouco perto do meu corpo de antes da gravidez quando Bear estava com 12 semanas… E quer saber? Meu corpo não vai voltar ao que era e eu nem esperaria por isso após ter três bebês.”

Não há problema algum querer voltar ao corpo de antes da gravidez, obviamente, mas as mulheres ganham muito peso durante o período, portanto, não deveríamos cobrar tanto que elas percam tudo de uma vez.

“A expectativa de emagrecimento rápido pode acrescentar uma carga de alto stress à vida já tão modificada pelo nascimento de um filho”, escreve Juliana Linhares em artigo publicado no site Maternidade Consciente. “Cada corpo tem o próprio ritmo. Na gravidez, os músculos retro abdominais são esticados em até 50%. O prazo de três meses para a recuperação é o mínimo.”

Gwyneth Paltrow:

Foto: Frazer Harrison/Getty Images
Foto: Frazer Harrison/Getty Images

“Não conseguia me conectar com meu filho [Moses, que nasceu em 2006] da mesma forma que havia acontecido com minha filha [Apple]. E não conseguia entender o porquê. Não conseguia me conectar com ninguém. Me sentia um zumbi…”

Gwyneth Paltrow contou em uma entrevista que sofreu depressão pós-parto, algo que atinge cerca de 25% das mães. A doença é caracterizada por uma tristeza profunda, perda de prazer no contato e cuidado com o filho, o que faz com que essas mulheres sintam como se fossem ‘pessoas ruins’. Enquanto a ideia da maternidade como ‘dom natural não pode ser a única responsável pela condição, ela pode contribuir para um sentimento maior de desamparo e culpa.

“Eu não sentia nada. Eu não tinha qualquer sentimento maternal por ele, era horrível. Eu não conseguia me conectar e, ainda hoje, quando olho para fotos dele aos 3 meses de idade, eu não me lembro dessa época”, contou Gwyneth à revista People.

A boa notícia é que há tratamento para a depressão pós-parto. É preciso procurar ajuda profissional, que pode recomendar uma medicação. Importante, também, é o apoio e a compreensão da família e das pessoas próximas à mãe.

Adele:

NEW YORK, NY - NOVEMBER 20: (Exclusive Coverage) Adele performs onstage during iHeartRadio presents Adele's album premiere live at Joe's Pub on November 20, 2015 in New York City. (Photo by Kevin Mazur/Getty Images for iHeartRadio)
Foto: Kevin Mazur/Getty Images

“Quando eu engravidei, tive tanta testosterona em mim que eu desenvolvi uma barba. Eu só a tirei ontem à noite. É verdade, não estou brincando. Eu tenho uma barba de verdade, mas me orgulho dela. Eu a chamo de Larry.” (Adele durante um show)

Sempre bem-humorada, Adele revelou em uma de suas apresentações que desenvolveu uma barba durante a gravidez. Embora soe algo estranho, não é algo incomum.

“Isso se deve às alterações hormonais próprias desse período, que prolongam a fase anágena (fase de crescimento) dos cabelos e pelos”, explica a dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, Dra. Carla Albuquerque, ouvida pela reportagem do Terra.

Durante a gestação, há um aumento de hormônios estrogênio e andrógeno. O primeiro é responsável por fazer com que o cabelo tenha mais volume e caia menos, enquanto o segundo, que é masculino, faz com que os pelos cresçam mais rápido.

Sarah Oliveira:

“Ninguém te fala, por exemplo, que amamentação dói.”

Sarah Oliveira é mãe de duas crianças e abriu o jogo sobre as mudanças no corpo – e na vida – que teve com as gestações.  Ela contou que se sente mais bonita e plena quando está grávida. Contudo, ela lembra que as experiências com esse período não são as mesmas para todas as mulheres.

“É claro que nem todo mundo é assim. Se eu tivesse uma experiência difícil, não estaria falando isso. Tem gravidez que é mais complicada e cada grávida tem uma relação particular com o seu corpo. Cada uma funciona de uma forma e você descobre a sua. Acho que as pessoas cobram muito das gestantes e das mulheres.”

Ela ainda falou sobre a amamentação, algo não tão fácil quanto parece.

“É difícil no começo, dói muito. Eu gostei da experiência, mas acho importante falar sobre amamentação de uma forma verdadeira. Não dá para ficar só cobrando. Afinal, é uma demanda, os hormônios da lactação deixam a mulher fragilizada e é muito dolorido. E ninguém fala isso, mas as pessoas precisam dizer.”

O aleitamento materno é recomendado, exclusivamente, para os bebês até o seis meses de idade, segundo a UNICEF, podendo ser continuado até os dois anos ou mais. Contudo, algumas mulheres não conseguem amamentar. E isso acontece por diversos motivos, como o leite secar ou a dor ser intensa, por exemplo. Entretanto, isso não torna a mulher ‘menos mãe’ do que as outras.

” O problema é as pessoas quererem ditar regras, falar que deve ser assim ou assado. Não é bacana querer impor nada para ninguém. Principalmente para grávidas, que ficam naturalmente mais fragilizadas, já que passam por muitas mudanças ao mesmo tempo. As pessoas tem que aprender a respeitar a singularidade de cada uma”, conclui Sarah.

Chrissy Teigen:

“Ninguém me disse que eu chegaria em casa de fraldas também.” (Chrissy Teigen no Twitter)

Quando você é mãe de primeira viagem, a gravidez é um oceano a ser explorado. A modelo Chrissy Teigen, casada com o ator John Legend, e mãe da pequena Luna, tem sido bem honesta sobre as belezas e os perrengues da maternidade, como dores no períneo, manchas na pele, e o uso de fraldas.

No pós-parto, é comum algumas mães lidarem com um corrimento vaginal, (lóquios) parecido com a menstruação, num período entre 20 e 30 dias. Também é comum uma incontinência urinária, causada muitas vezes pelo peso adquirido durante a gestação, o que enfraquece o assoalho pélvico e os músculos abdominais.

Carrie Underwood:

Foto: Jason Merritt/Getty Images
Foto: Jason Merritt/Getty Images

“Você se sente culpada por tudo, cada decisão, cada coisa que você fizer.” (Carrie Underwood para a People)

O sentimento da cantora country é similar ao de outras mães. A atriz Christina Applegate, por exemplo, também sentiu-se da mesma maneira após dar à luz à sua filha Sadie Grace. “Às vezes, eu penso: ‘eu não vou fazer nada certo!'”

Ser mãe, creio eu, é tatear o escuro, aprender com cada fase, cada choro e risada. Essa pressão, contudo, para serem perfeitas, é que não deveria ser imposta, afinal, mães são seres humanos, o que significa que elas vão errar muito.

Anna Faris:

Anna-Faris

“A minha ficou mais apertada e mais quente.” (Anna Faris)

A atriz Anna Faris participou de um podcast com a também atriz Olivia Munn, e as duas conversaram sobre o que acontece com a sua vagina após o parto.

Munn: “O que acontece com a sua vagina? Porque eu ouvi histórias horríveis.”
Faris: [sarcasticamente] “A minha ficou mais apertada e mais quente.”
Munn: [“Minhas amigas que tiveram filhos] Todas disseram isso: ‘parece que há uma pequena vagina sobre a sua vagina.’ Elas ficam repetindo o termo ‘explosão’. Como se tudo houvesse ‘explodido.'”
Faris: “Ela volta.”
Munn: “Quanto tempo levou para voltar ao normal para você?”
Faris: “Acho que levou seis semanas.”

Segundo o site Tua Saúde, o “parto normal não altera o tamanho da vagina, pois a musculatura volta ao normal após o parto.” Se o períneo for rompido, que une a vagina ao ânus, é possível restaurá-lo.

“No entanto, em alguns casos os músculos e nervos da região ficam danificados, o que pode alargar um pouco o canal vaginal e causar dor e desconforto durante a relação íntima. Nestes casos, pode-se fazer exercícios para fortalecer os músculos da vagina ou recorrer à cirurgia de perineoplastia, que corrige a estrutura deste órgão.”

Shakira:

Uma foto publicada por Shakira (@shakira) em

“Ninguém me disse que seria difícil assim. É preciso que você tenha muita energia, mas eu amo isso [a maternidade]. Estou adorando cada pedaço disso. Não é idílico como as pessoas dizem, mas nem tão terrível como como todos te dizem.” (Shakira para a Us Weekly)

Como a Shakira, e tantas outras celebridades já disseram, a maternidade não é tão fácil quanto é propagado, mas também não ruim como pode parecer.

Jessica Alba:

jessicaalba

“Quando você se torna mãe, a última coisa que você quer é ser julgada, porque todas estão tentando dar o seu melhor.” (Jessica Alba para a People)

Halle Berry:

Em evento, Halle Berry fala sobre as marcas da violência doméstica em sua vida

Sobre conciliar trabalho e família:

“Eu descobri que não é verdade. Mas eu amo muito trabalhar. Estou encontrando uma forma de criar um equilíbrio. E quando estou com meus filhos, eu estou mesmo com meus filhos, e isso compensa quando não posso estar com eles.” (Halle Berry para o E! News)

É difícil conciliar trabalho e família, especialmente quando se é mãe solteira como Halle Berry. Elas enfrentam os mais diversos obstáculos, principalmente quando não possuem a mesma posição social da atriz. Para algumas mulheres, não ter com quem dividir o cuidado dos filhos, “é a única realidade que conhecem”, escreveu Sheryl Sandberg, chefe operacional do Facebook na rede social.

“Precisamos repensar nossas políticas públicas e corporativas e aumentar nosso entendimento do que uma família é. […] Mães solteiras precisam e merecem muito mais apoio da comunidade do que damos a elas. Devemos isso a elas e a seus filhos. Precisamos melhorar. Devemos fazer mais enquanto líderes, colegas de trabalho, vizinhos e amigos.”

Kristen Bell:

Foto Cindy Ord/Getty Images
Foto Cindy Ord/Getty Images

Sobre o choro das crianças recém-nascidas:

“É um circo. É um circo, com certeza. Eu amo. Eu os amo. Mas sabe de uma coisa? Sabe onde podíamos melhorar? Por que todos acordam gritando? Por que não contam isso? Eles acordam gritando por, tipo, quatro anos. Você acorda, e no momento em que você acorda, você está num filme de terror, porque todos na casa estão berrando!” (Kristen Bell para a Ellen DeGeneres)

Mila Kunis:

Foto David M. Benett/Getty Images
Foto David M. Benett/Getty Images

“Eu não trocaria isso [a maternidade] por nada. Nunca. Mas eu sei que, quando decidimos [ela e Ashton Kutcher, seu marido] decidimos ter um filho, estávamos prontos para não sermos mais egoístas. Porque, inerentemente, enquanto humanos, somos muito egoístas, e nós queríamos muito ter uma família.”

Mila Kunis contou recentemente como a maternidade a fez mudar suas prioridades na vida e como ela a mudou.

“[Ser mãe] É ótimo, mas muda a forma como você olha a vida e se o que você está fazendo vale a pena, ao invés de ficar com seus filhos. Ter esse pequeno ser humano para criar… Foi um ato de equilíbrio e então você aprende como ser uma boa parceira, esposa, mulher e ser você mesma, e ainda ser responsável pela vida de uma criança. É, definitivamente, um processo de aprendizado.”